22 de novembro de 2010

Extinção

Saem labaredas tantas
Deste vulcão que assopra
Sutilezas da vida
Já com data de extinção

São brasas geladas
Que queimam ambos os lados
E se evolam no tempo
Levadas pela mão do vento.

Oh, vento que levas fogo,
Que reviva brasas e derrete gelos,
Entre nos olhos dela
Vai ao coração e traze para mim
...só para mim...em Extinção.

Armando Pereira Carneiro

Esta é para refletir e inspirar sua semana!
Fique com Deus!

Um comentário:

  1. Oi querida, vim agradecer o seu carinho que foi fundamental para que eu retomasse a caminhada e dizer que estou de volta!
    Muito obrigada, e tenha uma excelente semana!

    Beijocas.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails